DESCRIÇÃO DA CRIAÇÃO E ATUAÇÃO DE UM GRUPO DE PALHAÇOS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE CURITIBA

SILVA, Ana Carolina Veronese1; KUSMA, Solena Ziemer 3; DOTTO, Raisa Natalia 3; KAESTNER, Tatiana Lorena da Luz2;

Resumo

Introdução:Os palhaços de hospitais têm como objetivo minimizar as consequências da enfermidade e das condições que a cercam num hospital, com um único instrumento que é a alegria. A presente prática vem crescendo em todo o mundo, pois promove um cuidado mais holístico, humanizado e eficaz.

Objetivo:Criar um grupo de palhaços de hospital, descrever a criação e sua atuação num ambiente hospitalar.

Metodologia:O grupo de palhaços instituído, chamado Cajumigos, foi criado em parceiria com a Liga Acadêmica de Humanização e Cuidado em Saúde (LAHCS) da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e o Hospital Universitário Cajuru (HUC). Após aprovação do conselho de ética, os ligantes foram capacitados para a prática da arte clown, através de palestras e oficinas. As visitas ocorrem em pequenos grupos, com duração de uma hora. Através do improviso e da percepção do momento, os alunos são incentivados a desenvolver um olhar integral para cada paciente.

Resultados:A atuação de palhaços em um hospital pretende integrar um cuidar humanizado e eficaz, corroborando com o conceito ampliado de saúde: bem estar físico, psíquico, social e espiritual. Para ser um palhaço de hospital, é imprescindível uma preparação intensa, porque ser clown exige aguçada sensibilidade para enxergar, escutar e sentir o paciente e, dessa forma, reumanizar as ciências da saúde. A PUCPR ganha então, seu primeiro grupo de palhaços de hospital, vinculado ao HUC, agregando formação humanizada para o âmbito universitário. O palhaço é um instrumento para recuperar os aspectos mais profundos e holísticos do cuidar, faz com que o profissional não apenas repita conhecimentos habilitados pela ciência, mas que vivencie a riqueza do momento clínico e todas as experiências que o mesmo promove.

Conclusões:O palhaço de hospital tem o talento de transformar uma situação complicada, levando alegria e riso a lugares inusitados. A sua arte gera ganho para o paciente e acompanhante, pois minimiza as consequências da enfermidade, e consequentemente, gera ganho para a instituição mantenedora, como também gera ganho para o próprio indivíduo palhaço na promoção de ser mais humano.

Palavras-chave:Humanização da Assistência. Medicina Comunitária. Promoção da Saúde

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador