APLICAÇÃO DA ESCALA PARA AVALIAÇÃO DE ALTERAÇÃO DO PALADAR INDUZIDA PELA QUIMIOTERAPIA (CITAS) EM PACIENTES ONCOLÓGICOS

CIRILO, Nicole Trevisol1; PEDREIRO, Thaisa de Arruda3; PERINI, Carla Corradi3; COUTO, Soraya de Azambuja Berti 3; SILVA, Isabela Maria Vasconcelos 3; BAGGIO, Gabriela Leite3; KURAHASHI, Maikol3; SOUZA, Paulo Henrique Couto2;

Resumo

Introdução:Alterações no paladar são comuns em pacientes oncológicos que passam pelo tratamento de quimioterapia devido à eliminação das células cancerígenas, porém, afetando também células saudáveis.

Objetivo:O presente estudo teve como objetivo principal a aplicação da escala Chemotherapy-induced Taste Alteration Scale (CiTAS), validada previamente no idioma Português, para análise da sua confiabilidade em pacientes oncológicos sob quimioterapia.

Metodologia:A presente pesquisa foi realizada em uma amostra de 113 pacientes atendidos no Serviço de Oncologia de um Hospital da cidade de Curitiba, sendo 81 mulheres com idade média de 55,43 (± 11,49) anos e 32 homens com idade média de 57,34 (± 14,43) anos que haviam recebido pelo menos a primeira sessão de quimioterapia e que apresentavam condições físicas e psicológicas para ler e responder ao questionário da escala CiTAS. Trata-se de uma escala do tipo Likert, dividida por 4 subescalas sendo a primeira denominada de “sabores básicos”, a segunda de “desconforto”, a terceira de “falso paladar” e a quarta de “alteração geral do paladar”. A pontuação de cada subescala foi obtida dividindo-se a soma dos escores oriundos das respostas dos pacientes pelo número de perguntas que cada subescala continha. O escore final da escala CiTAS foi obtido somando-se a pontuação final de cada subescala, sendo 4 o valor mínimo e 20 o valor máximo, representando ausência e maior presença de alteração do paladar, respectivamente. Para o teste estatístico do presente estudo foi utilizado o teste alfa de Cronbach para análise da confiabilidade da referida escala.

Resultados:Para análise estatística da presente pesquisa, utilizou-se o teste de alfa Cronbach. A escala CiTAS, apresentou alto grau de confiabilidade das respostas relatadas pelos pacientes oncológicos sob quimioterapia, conforme os valores do teste estatístico utilizado de 0,826 e 0,919, considerados excelentes.

Conclusões:A escala CiTAS, previamente validada para o português, mostrou-se altamente confiável e aplicável para pacientes oncológicos sob quimioterapia. Com os resultados da presente pesquisa, sugere-se que esta escala possa ser adotada como um instrumento de avaliação do grau de alteração do paladar de pacientes oncológicos sob quimioterapia, de forma que seja possível mensurar este grau, favorecendo o acompanhamento nutricional desses pacientes, de forma individualizada, durante o tratamento quimioterápico. Consequentemente, uma melhor qualidade de vida pode ser alcançada para estes pacientes.

Palavras-chave:Disgeusia. Paladar. Oncologia. Quimioterapia

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador