GERTRUDE STEIN: AUTORIA FEMININA, SOCIABILIDADES INTELECTUAIS E AMIZADE, EM PARIS, NO INÍCIO DO SÉCULO XX

SANTOS, Carolina Fernanda Antunes dos1; ZECHLINSKI, Beatriz Polidori2;

Resumo

Introdução:Gertrude Stein foi uma importante autora modernista que viveu durante a belle époque parisiense. Nascida em Allegheny (atual Pittsburgh), decidiu mudar-se para Paris em 1903, após desistir de uma formação em medicina, em Johns Hopkins, passando a dedicar sua vida à escrita. Além de escritora, foi colecionadora de arte e dona do salão do apartamento da Rue de Fleurus, 27, sua residência, onde reuniu figuras de renome do meio literário e artístico parisiense do início do século XX.

Objetivo:O objetivo foi analisar as representações sociais de gênero nas correspondências entre Gertrude Stein e o escritor americano Carl Van Vechten, buscando compreender as relações entre essas representações e o cotidiano vivido pela autora, em Paris, no início do século XX.

Metodologia:A metodologia utilizada foi a análise de correspondências, para o estudo das fontes primárias, possibilitando a compreensão da amizade intelectual construída entre Gertrude Stein (1874-1946) e seu amigo Carl Van Vechten (1880-1964), autor de um best-seller, Nigger Heaven, e colaborador do movimento Harlem Renaissance. Também consideramos importante para os resultados da pesquisa a perspectiva do conceito de sociabilidades, desenvolvido por diferentes autores, como Norbert Elias, Eric Dunning e Georg Simmel.

Resultados:Como uma importante intelectual, Gertrude Stein contribuiu enormemente com sua inteligência, perspicácia e personalidade dentro de seus círculos de amizade. Durante a análise das correspondências com Carl Van Vechten, é possível notar que não só ela ocupou um papel de mentora intelectual de tantos artistas e escritores, mas que essa troca era bilateral. Em vários momentos percebe-se que ela mesma contava com as opiniões do amigo, sobre diversos assuntos que não apenas suas obras literárias, e, também, que contava com a ajuda dele para a manutenção da própria carreira. O século XX se constitui com um diferencial sobre as perspectivas das amizades femininas, no sentido das amizades intelectuais que tratamos nesta pesquisa.

Conclusões:No período estudado, pode-se observar que as relações de amizade entre o autor e a autora se davam de forma recíproca e horizontal, demonstrando que as hierarquias de gênero podiam, certamente, ser rompidas nos círculos de amizades. Através das amizades intelectuais, mulheres como Gertrude Stein, que viam a si mesmas tão distantes dos papéis convencionais de gênero no final do século XIX e início do XX, encontravam maneiras de ser e de se relacionar que convinham mais adequadamente aos seus desejos.

Palavras-chave:Gertrude Stein. Sociabilidades intelectuais. Correspondências. Amizades mistas. Gênero

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador