ANÁLISE DA ESTRUTURA DIAMÉTRICA DE UMA FLORESTA OMBRÓFILA MISTA LOCALIZADA NA FEGA/PUCPR NO PERÍODO DE 2013 A 2018

ZEIN, Mariam Kassem El1; CORAIOLA, Marcio2;

Resumo

Introdução:A Floresta Ombrófila Mista, também conhecida como Floresta com Araucária, pertence ao Bioma Mata Atlântica e possui aspectos fitoecológicos como característica principal. De extrema relevância para as regiões sul e sudeste do Brasil, a floresta sofreu intensa exploração, portanto, conhecer o seu estágio atual de desenvolvimento, através do estudo da dinâmica florestal, torna-se indispensável devido à necessidade de desenvolvimento de planos de manejo futuros.

Objetivo:Este trabalho teve como objetivo principal, analisar a distribuição diamétrica da Floresta Ombrófila Mista localizada na Fazenda Experimental Gralha Azul/PUCPR no período de 2013 a 2018.

Metodologia:Para avaliar as alterações na estrutura diamétrica de uma Floresta Ombrófila Mista localizada na Fazenda Experimental Gralha Azul da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), uma parcela de 10000 m2, previamente avaliada no ano de 2013, foi remedida em 2018. Em 2013, as árvores com DAP igual ou superior a 10 cm foram identificadas, numeradas e tiveram seus diâmetros medidos. Em 2018, os mesmos critérios de avaliação foram utilizados, incluindo indivíduos arbóreos não analisados no ano anterior (ingressos) e excluindo indivíduos não encontrados (mortos). O conjunto de variáveis dendrométricas e a dinâmica das populações serviu como base para obtenção dos resultados.

Resultados:Do conjunto das árvores mensuradas nos anos estudados, foram obtidas onze classes diamétricas, determinadas pelo método de Sturges, com intervalos fixos de 7 cm cada. Em 2013, 699 indivíduos foram encontrados, enquanto que em 2018 esse valor sofreu uma redução de 3,3% devido ao número de mortos (46) e ingressos (23), totalizando 676 árvores por hectare. A floresta apresentou a distribuição decrescente em J-invertido, típica de florestas naturais, com grande concentração de indivíduos jovens nas classes inferiores, característico de fragmentos em processo de regeneração.

Conclusões:Pode-se concluir também, que apesar do número de árvores que atingiram o DAP mínimo de 10 cm ter sido menor que o número de árvores mortas no período, a floresta encontra-se em um estágio sucessional típico de uma floresta secundária alterada.

Palavras-chave:Estrutura diamétrica. Floresta Ombrófila Mista. Dinâmica florestal.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador