A COBERTURA ELEITORAL DA GAZETA DO POVO EM SEUS POSTS DO FACEBOOK SOBRE OS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DO BRASIL EM 2018

KOTZIAS, Marina Darie Adorno1; COLOMBO, Renan2;

Resumo

Introdução:As redes sociais são protagonistas no processo de consumo de informações no Brasil. O Facebook é uma das principais plataformas neste quesito, já que veículos de comunicação possuem páginas nesta mídia para divulgar as notícias publicadas em seus websites. Este cenário é complementado por um ambiente em transformação para o jornalismo, por conta de fenômenos como as fake news, o questionamento da imparcialidade da profissão jornalista, a priorização do mobile first e os algoritmos da rede social.

Objetivo:A partir dessa realidade, o objetivo geral desta pesquisa é compreender de que forma a Gazeta do Povo - um jornal relevante local e nacionalmente para o cenário político do país - retratou os dois principais candidatos à presidência durante as eleições de 2018, por meio de suas postagens no Facebook. De forma mais específica, o objetivo é analisar de que forma o veículo jornalístico utiliza a rede social para produzir conteúdo, se houve a priorização de algum personagem e se a interação dos usuários é levada em conta.

Metodologia:O método escolhido para realizar essas tarefas é a análise de conteúdo, por meio de uma semana artificial, a partir da coleta de dados na página do Facebook da Gazeta do Povo durante o período estabelecido para a campanha eleitoral dos candidatos na televisão e rádio, ou seja, entre 31 de agosto e 26 de outubro de 2018. Isso possibilitou a análise de diferentes dados, como os conteúdos mais curtidos pelo público, qual tipo de material jornalístico foi mais predominante para os dois principais candidatos e qual o número de postagens para cada um deles.

Resultados:Foi observado que o Jair Bolsonaro (PSL), que venceu as eleições, foi priorizado nas postagens e que o conteúdo mais curtido e compartilhado pelo público estava relacionado a ele.

Conclusões:Estes resultados demonstram que a Gazeta do Povo estabeleceu uma estratégia condizente com seu posicionamento editorial, para que seus posts gerassem engajamento, além de reafirmar seu papel de influência, com base na teoria do agendamento e do framing.

Palavras-chave: Jornalismo político. Jornalismo e redes sociais. Eleições presidenciais. Algoritmo.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador