REPRESENTAÇÕES DA ÁFRICA NA LITERATURA AFRICANA CONTEMPORÂNEA: REVERBERAÇÕES DE UM IMAGINÁRIO EUROCÊNTRICO OU A CONSTITUIÇÃO DA ÁFRICA VISTA “POR DENTRO” NA LITERATURA AFRICANA LUSÓFONA.

CORRÊA, Yara Santos1; NEUNDORF, Alexandro2;

Resumo

Introdução:A poetisa moçambicana, Noémia de Sousa, nasceu em 20 de setembro de 1926, ano em que Salazar acabara de ascender ao poder em Portugal. Foi uma escritora publicada principalmente em jornais, sendo seus poemas posteriormente compilados no livro Sangue Negro - com um total de 46 poemas escritos entre os anos de 1948 e 1951. Sua repercussão em Moçambique foi tanta que ficou conhecida como “Mãe dos poetas moçambicanos”. Em seus poemas é possível observar aspectos da história de seu país e da África, a luta dos povos africanos pela liberdade perante o colonialismo, denúncias de abusos sofridos pelos negros nas mãos dos europeus e muitos outros aspectos do contexto histórico.

Objetivo:A análise histórica do livro Sangue Negro é o principal objetivo deste artigo e será analisada a representação do continente africano feita pela autora em sua obra. Foram analisados catorze poemas com o intuito de compreender o período histórico da descolonização de Moçambique, os movimentos nacionalistas do país e o ativismo presente no século XX contra o sistema colonial, racismo, o etnocentrismo e o patriarcado - assim como a visão da autora sobre tais acontecimentos.

Metodologia:Inicialmente foi feito um aprofundamento sobre o uso das fontes literárias como fontes históricas, tendo em vista que se apresentam em contexto e forma de análise diferente das fontes político-factuais. Em seguida, elaborou-se uma pesquisa sobre os estudos pós-coloniais para a compreensão de que a imagem do oriente e ocidente são construções históricas postas pelo continente europeu em sua tentativa de se consolidar como superior. Por último, foi explicado o processo de construção do artigo e as dificuldades encontradas no decorrer da pesquisa.

Resultados:Os resultados obtidos se deram através da análise historiográfica dos poemas de Noémia de Sousa. Inicialmente foi feita uma descrição dos componentes do livro como capítulos e a sua devida separação. Logo após se deu início a análise dos poemas, sendo que cada um decorreu em resultados diferentes. A ordem dos poemas são: Nossa voz; Passe; Justificação; Deixa passar o meu povo; Negra; Patrão; Moças das docas; O homem morreu na terra de algodão; Poema; Um dia; Poema de João; Poema; Bayete; e Sangue Negro. Nos resultados pode-se encontrar a imagem da África colonizada e as consequências do sistema colonial relatados pela poetisa - assim como homenagens à cultura africana e ao continente. Cada poema possui uma temática diferente, por isso os aspectos observados são diversos.

Conclusões:Após a análise dos poemas e feita a relação com literaturas de apoio foi possível concluir que a poesia de Noémia de Sousa se colocou como espaço de resistência e autonomia para os oprimidos. Sua obra trouxe a retomada da identidade negroafricana, que havia sido enfraquecida com a assimilação cultural e o sistema colonial. Foi possível dialogar com as denúncias feitas pela autora nos poemas com obras historiográficas e autores teóricos, o que trouxe por fim resultados positivos em relação aos objetivos anteriormente propostos.

Palavras-chave: Literatura africana. Noémia de Sousa. Poemas. África. Colonização.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador