MÉTODO DE ANÁLISE DA INCISURA DA MANDÍBULA PARA IDENTIFICAÇÃO HUMANA

KONESKI, Rafael Guimarães1; SOUZA, Paulo Henrique Couto 3; JÚNIOR, Sergio Cardoso3; PESSALI, Mariana Trento3; COUTO, Soraya de Azambuja Berti2;

Resumo

Introdução:A identificação humana é um dos principais pressupostos na área de Ciência Forense. Neste contexto, uma das formas de avaliar este tipo de identificação pode ser realizada por meio de medidas lineares de estruturas anatômicas faciais, observadas em imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico (CBCT).

Objetivo:O objetivo da presente pesquisa foi realizar um estudo de análise morfométrica da incisura da mandíbula em imagens de tomografia computadorizada de feixe cônico para estimativa de sexo.

Metodologia:Para tanto, foram analisadas 250 tomografias computadorizadas de feixe cônico, oriundas de uma clínica particular de radiologia da cidade de Curitiba, disponibilizadas no banco de dados do tomógrafo SCANORA 3D (Soredex, Tuusula, Finland), da Clínica de Odontologia da PUCPR. Das 250 imagens, 149 imagens foram do sexo feminino e 101 do sexo masculino. Para a medição nas imagens, utilizou-se a ferramenta de “distância linear” do software OnDemand (Cybermed, Korea). Estas medidas tiveram como base o ponto mais superior do processo coronoide, avaliando sua distância até o ponto mais medial, superior e distal do processo condilar, nos cortes sagital, coronal e axial de cada imagem. Foram realizadas 6 medidas em cada imagem, totalizando 1500 medidas nas 250 imagens.

Resultados:Para análise estatística, o teste T para amostras independentes foi usado para comparações das medidas lineares com a variável de sexo, a um nível de significância de 5%. Comparou-se possíveis diferenças entre os sexos feminino e masculino, além de diferenças significativas entre as medidas obtidas dos lados direito e esquerdo, em cada sexo. Os resultados obtidos mostraram que o sexo masculino apresentou medidas da incisura da mandíbula estatisticamente maiores quando comparado com o sexo feminino (p<0,05). Quando comparados os lados direito e esquerdo, no mesmo sexo, não houve diferença estatisticamente significativa entre as medidas obtidas (p>0,05).

Conclusões:O presente estudo evidenciou que podem existir alterações nas medidas lineares da incisura da mandíbula quando as mesmas são comparadas entre os sexos feminino e masculino. sugerindo que esta estrutura anatômica, podem ser utilizadas como avaliações auxiliares no processo de estimativa de sexo, dentro da área da Odontologia Forense.

Palavras-chave: Antropologia forense. Odontologia Forense. Odontologia Legal. Estimativa do sexo.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador