AVALIAÇÃO DA ESPESSURA DA MEMBRANA BASAL CITOTROFOBLÁSTICA DE PLACENTAS DE GESTANTES INFECTADAS POR ZIKV

PROKOPENKO, Amanda1; MALAQUIAS, Mineia Alessandra Scaranello 3; MARINI, Emily Scaranello 3; PANINI, Letícia Ariane 3; REBUTINI, Patrícia 3; NORONHA, Lucia de2;

Resumo

Introdução:A placenta é um importante componente para a compreensão da fisiopatologia da infecção do zika vírus (ZIKV), porém grande parte deste mecanismo ainda permanece desconhecido. Os macrófagos placentários, também chamados de células de Hofbauer, estão normalmente presentes no estroma viloso coriônico. Estas células são comprovadamente infectadas por ZIKV durante a gestação e, sabe-se que há uma proliferação e hiperplasia dessas células.

Objetivo:Avaliar a espessura da membrana basal citotrofoblástica de placenta de gestantes que foram infectadas pelo ZIKV durante a gestação e deram à luz após 34 semanas de idade gestacional (grupo-estudo), comparando-as com grupo controle.

Metodologia:O grupo de estudo foi composto por placentas de gestantes diagnosticadas com ZIKV durante a gestação, que deram à luz entre 34 e 40 semanas (n=22). Este grupo foi comparado com o grupo controle (n=22). Cortes histológicos de todas as placentas do estudo foram corados com PAS com digestão. As lâminas foram fotografadas em aumento de 400x utilizando o Digitalizador Axion Scan.Z1. Dentre as imagens confeccionadas, foram excluídas as desfocadas, com artefatos e as que continham tecido não-vilositário (membranas, cordão, decídua). As imagens restantes (com 100% do campo ocupado com vilosidades placentárias) foram randomizadas para a obtenção de cerca de 30 imagens para cada caso do grupo estudo e do grupo controle. Com o auxílio do programa Image Pro Plus® 4 e com base em morfometria de cores, foram avaliadas as áreas realçadas em rosa (positivas para membrana). Ao final do processo, o programa forneceu dados de área positiva para membrana basal, em micrômetros quadrados (µm2).

Resultados:O presente estudo demonstrou que não houve alteração significativa na espessura da membrana basal placentária, independentemente da idade gestacional em que a mãe contraiu a infecção, da presença de alteração anatomopatológica na placenta e/ou do desenvolvimento ou não da síndrome do zika congênito.

Conclusões:Não foi encontrada relevância estatística na comparação entre os grupos analisados.

Palavras-chave:Zika vírus. Placenta. Células de Hofbauer. Membrana basal placentária.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador