FONOLITO COMO FONTE DE POTÁSSIO PARA A SOJA

INCOTE, Camilo Gustavo1; RANZAN, Thiago2;

Resumo

Introdução:O Brasil é um país de proporções continentais, possuindo uma das maiores áreas agricultáveis do mundo. As práticas agrícolas brasileiras são referência para muitos países, principalmente se tratando dos manejos conservacionistas do solo. No Brasil, o consumo de N2, P2O5 e K2O em 2016 foi de 34083 mil toneladas, dentro deste consumo a porcentagem de importação de K2O foi de 95% (ANDA, 2016). Isso demonstra a grande dependência do país na importação de potássio, fator que encarece os custos internos de produção.

Objetivo:O objetivo deste experimento, foi avaliar a eficiência da aplicação de fonolito como fonte alternativa do nutriente potássio na produtividade da soja.

Metodologia:O estudo foi conduzido na Fazenda Experimental Gralha Azul/PUCPR e utilizou-se as práticas agrícolas comuns, com a implantação da cultura na época correta, tratos culturais, bem como tratamento de sementes, controle de pragas, doenças e plantas daninhas. O primeiro fator foi composto pelas fontes de potássio (Sem potássio; Cloreto de Potássio KCl e FONOLITO), o segundo fator foi composto pelas doses de K (50; 100; 200 e 400 kg ha-1), sendo utilizado 4 repetições. O experimento foi instalado em uma área sob plantio direto, com semeadura realizada de acordo com a tecnologia recomendada para a cultura da soja. As amostras foliares para avaliação de doenças foram coletadas no estádio fenológico VN e a coleta de amostras para avaliação de produção, foi feita após a morte fisiológica da planta e, posteriormente, determinadas a umidade e impurezas de cada amostra.

Resultados:Os resultados foram submetidos à análise estatística para correlacionar com os tratamentos e definir a melhor alternativa de aplicação do fonolito ou cloreto de potássio. Não foram obtidas diferenças significativas entre os tratamentos, tendo um incremento de produtividade diretamente proporcional à aplicação de K2O. Com isso, a aplicação de fontes alternativas de potássio, no caso o fonolito, pode ser uma alternativa viável, tendo em vista a produtividade. Estas alternativas tem a vantagem de terem fontes presentes no país e utilizarem de pouca energia para a sua produção, podendo ser utilizada de forma natural ou com algum tratamento térmico ou químico. A vantagem da utilização de pó de rocha é a disponibilidade de mais de um nutriente, visto que a rocha possui em sua composição vários elementos.

Conclusões:A alta tecnologia empregada na agricultura atualmente, permite ao produtor rural, optar pela alternativa de melhor adequação ao seu trabalho e ao meio ambiente.

Palavras-chave:Rochagem. Fertilizantes. Nutrientes. Agricultura.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador