ANALISE GEOGRÁFICA INTEGRADA DE CIDADES INTERTROPICAIS EM ALTURA NA FRENTE DAS MUDANÇAS CLIMATICAS

CAMPOS, Aline Fenerich de1; GUZMÁN, Ana María Osorio2;

Resumo

Introdução:Estudos recentes evidenciam as consequências que sofrem os centros urbanos em cenários de mudanças climáticas. Nesse contexto, a presente pesquisa selecionou cidades médias que apresentam como vantagem comparativa frente as mudanças climáticas a latitude e a altitude em que estão localizadas. Foram escolhidas seis cidades andinas como objeto de estudo: Bucaramanga, Pasto e Popayán (Colômbia), Cuenca (Equador), Huancayo (Perú) e Cochabamba (Bolívia). O estudo trata sobre as características geográficas dessas cidades e como devem enfrentar a adaptação às dramáticas mudanças não só climáticas, mas demográficas, espaciais e na paisagem.

Objetivo:A pesquisa tem como objetivo elaborar uma análise geográfica integrada de uma amostra de cidades intertropicais em altura considerando cenários de mudanças climáticas e transformações da paisagem. As informações sobre as cidades deram um panorama geral evidenciando diferenças e semelhanças entre elas.

Metodologia:Foram consultados indicadores de sustentabilidade urbana, modelos de elevação, imagens de satélite, mapas e fotografias das cidades para a elaboração de tabelas comparativas; visualização comparativa; e percursos de transecto, a partir dos quais se propõem modelos de uso e morfologia urbana e modelos de sínteses espacial.

Resultados:Juntamente com o embasamento teórico, a pesquisa demonstrou a necessidade de ações e comprometimento seja a curto, médio ou em longo prazo das cidades em relação as mudanças climáticas.A partir da análise geográfica realizada nas cidades andinas selecionadas e da revisão bibliográfica, no cenário tendencial podem ser previstas alterações na paisagem das cidades intertropicais em altura como o aumento continuo das áreas urbanas, sobre tudo por parte de assentamentos informais. Sabemos que as consequências são inevitáveis, porém a falta de gestão faz com que esses impactos sejam maiores e descontrolados. Outra questão a ser pontuada é a vulnerabilidade dos grupos de assentamentos informais e o desconhecimento da cidade informal existente.

Conclusões:O aumento de demanda recursos vitais como água, alimento, energia e de resíduos sólidos e líquidos, implicará presença de infraestruturas correspondentes e impactará os sistemas naturais, em especial nos rios, e a forma como esses são percebidos, além de mudanças nas caraterísticas naturais da paisagem visíveis na vegetação e a fauna.

Palavras-chave:Mudanças climáticas. Resiliência. Indicadores de sustentabilidade urbana.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador