AVALIAÇÃO DA MATURAÇÃO DAS VILOSIDADES PLACENTÁRIAS DE GESTANTES INFECTADAS POR ZIKV

MARINI, EMILY SCARANELLO 1; MALAQUIAS, Mineia Alessandra Scaranello 3; REBUTINI, Patricia 3; PANINI, Letícia 3; NORONHA, Lucia de 2;

Resumo

Introdução:A infecção pela Zika vírus (ZIKV) em seres humanos tem sido associada a malformações congênitas e outras desordens neurológicas, como a síndrome de Guillain-Barré. Os mecanismos da transmissão intrauterina do ZIKV, os tipos celulares envolvidos, o período gestacional mais crítico para a ocorrência de desfechos graves decorrentes da infecção e outros aspectos fisiopatológicos não estão completamente elucidados.

Objetivo:Avaliar a maturação das vilosidades placentárias de gestantes que foram infectadas pelo ZIKV e deram à luz entre 34 e 40 semanas de gestação (grupo-estudo), comparando-as com o grupo controle.

Metodologia:Neste estudo, analisamos amostras de placentas obtidas imediatamente após o parto de um grupo de 24 mulheres diagnosticadas com infecção pelo ZIKV durante a gestação. O grupo controle foi composto por 6 casos de pacientes gestantes que não apresentavam infecção por TORCHS. Para verificar a quantidade de brotos e nós sinciciais dos grupos, as lâminas contendo os cortes histológicos foram fotografadas em aumento de 400x utilizando o Digitalizador Axion Scan.Z1(21), gerando em torno de 5000 imagens. Dessas, foram excluídas imagens em branco, com tecido não vilositário, com artefatos e apenas parcialmente preenchidas por vilosidades placentárias. As restantes foram randomizadas, tendo sido contadas as estruturas de interesse em 30 imagens. Em cada uma delas foram analisadas as vilosidades completamente visíveis e, identificados e contados os brotos e nós sinciciais.

Resultados:A análise morfométrica mostrou aumento do número de nós e brotos sinciciais (indicando um distúrbio de maturação viloso) nas placentas de mulheres infectadas com ZIKV em comparação com o número dessas características nas placentas do grupo controle. As alterações estromais descritas foram: espessamento da membrana basal trofoblástica; aumento do número de capilares fetais; fibrose estromal; microcalcificações grosseiras em vilos imaturos; moderado aumento da deposição de fibrina; aumento do número de células de Hofbauer.

Conclusões:A infecção pelo ZIKV está associada a alterações histopatológicas placentárias, em sua maioria caracterizadas por imaturidade vilosa associada a alterações estromais, inclusive com aumento significativo do numero de brotos sinciciais em placentas de mulheres infectadas, indicando anormalidades do desenvolvimento placentário após a infecção pelo ZIKV.

Palavras-chave: Zika vírus. Placenta. Microcefalia. Análise morfométrica.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador