A IDEOLOGIZAÇÃO DE VALORES E A UTILIZAÇÃO DO DIREITO COMO INSTRUMENTO RACIONAL DOS PROJETOS SOCIOLÓGICO E ECONÔMICO

MOREIRA, Mariah1; OLIVEIRA, Claudio Rogerio Teodoro de2;

Resumo

Introdução:A presente pesquisa busca analisar o abandono da pessoa humana acometido pela crise do direito na pós-modernidade, por meio da análise dos fundamentos jurídicos que compõem nosso ordenamento, e verificar se valores cristãos e ideais metafísicos, uma vez adotados e centralizados nos princípios dos indivíduos, foram postos à deriva por conta de uma ideologização de valores.

Objetivo:Em essência, visa abordar se na modernidade a relativização de valores trazida pelo racionalismo que, encampando uma visão de projeto econômico, afastou a concepção de pessoa cristã que visa o bem comum, transformando a sociedade em um amontoado de corpos sem referencial de fim guiados pela cultura do consumismo.

Metodologia:Por ter objetivos descritivos, que para serem cumpridos existe a necessidade de análise de obras, filósofos, artigos anteriormente publicados e fatos históricos, o método utilizado nessa pesquisa é o indutivo, buscando sempre fazer uma análise ponderada da realidade em composição com estudos já apresentados.

Resultados:Em primeiro lugar, foi possível a compreensão de que a ideologização de valores é um fator que, aliado a uma ideologia, condiciona certa sociedade em certo período de tempo, alterando todos os valores centrais da pessoa humana, fazendo com que essa pense que toda a linha de raciocínio imposta é a correta e não àquela anteriormente vigente. Assim, o ser humano deixa de ser pessoa e passa a ser produto de uma condicionante. Em segundo lugar, foi possível identificar que a dignidade da pessoa humana vem sendo deixada de lado por conta de um processo de ideologização de valores que está sendo instaurado na sociedade pós-moderna diariamente. Tal processo está baseado na ideologia do consumismo, gerando cada vez menos um pensar social e solidário e cada vez mais um raciocínio individualista de agentes consumidores, sendo fortemente demonstrado na imersão da necessidade de competição e de reconhecimento profissional.

Conclusões:Tal relativização de valores trazida pelo racionalismo e por uma visão de projeto econômico, afastou a concepção de pessoa caridosa que visa o bem comum, transformando a sociedade em um amontoado de corpos sem referencial de fim guiados pela cultura do consumismo, demonstrando a clara necessidade de um resgate da humanidade frente a sociedade mecanizada e individualista. Assim, o direito nessa perspectiva, se aliado com o humanismo integral de Jacques Maritain, poderia caminhar de modo a investir em normas que buscassem trazer o primado das pessoas sobre materiais, bem como tratar o ser humano como uma totalidade e respeitando as várias dimensões de sua vida ao invés de reduzi-lo a essas e também trazer ética e o protagonismo da pessoa para as ações que ocorrem na vida social, a fim de sempre objetivar a construção de um bem comum.

Palavras-chave:Dignidade humana. Ideologização de valores. Modernidade

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador