INTERFERÊNCIAS METROPOLITANAS NO PROJETO URBANO: A INTEGRAÇÃO DO SETOR SUL DA LINHA VERDE

TAKAMORI, Camila Yaemi1; HARDT, Letícia Peret Antunes 3; DIAS, Loren Colodiano 3; HARDT, Carlos2;

Resumo

Introdução:A presente pesquisa é decorrente de uma das principais alterações da estrutura morfológica do município de Curitiba, PR, com repercussão sobre o espaço metropolitano, cujas diretrizes de planejamento urbano passaram por significativas mudanças a partir de 2000, por consequência da revisão do Plano Diretor de 1966 e de sua adaptação ao Estatuto da Cidade (Lei Federal nº 10.257/2001). O trecho extremo sul da Linha Verde, objeto da presente pesquisa, é a principal via estruturante para a ligação metropolitana entre Curitiba e os municípios de Fazenda Rio Grande e Araucária, porém, o projeto se limita às intervenções físicas apenas no território de Curitiba, investigando suas características supra municipais. Com este contexto, percebe-se ainda, uma certa carência de estudos sobre a real interferência do objeto de iniciativa municipal de Curitiba, quando defrontada com aspectos de demandas metropolitanas, notadamente sobre a implementação física do Sistema Viário Metropolitano. Desde o início dos anos 2000, são identificadas pelo organismo metropolitano deficiências potenciais que exigem intervenções físicas para que as vias se adequem à sua categoria funcional.

Objetivo:O objetivo da pesquisa constitui em se avaliar a relação existente e em potencial entre os espaços urbanos contíguos ao extremo sul da Linha Verde e sua configuração projetada. Trata-se de entender a repercussão, tendo em vista representar uma intervenção urbana sobre um ambiente de influência supra municipal, com fortes características metropolitanas, analisando o cenário projetado pelo município polo, frente às condições existentes dos espaços contíguos, até sua repercussão sobre os municípios que fazem limite com os setores urbanos no setor sul do eixo metropolitano.

Metodologia:Para isso, o estudo foi dividido em cinco etapas principais, de acordo com a proposta de pesquisa. Os dois primeiros meses, que compuseram a fase inicial do projeto, envolveram a abordagem teórica para assimilação dos conceitos e teorias pertinentes ao objeto em análise, para então realizar a estimativa de demanda de estruturas viárias do eixo, diretriz de planejamento, sistematização da estrutura viária e de mobilidade e a análise de procedimentos de gestão do Estatuto da Metrópole.

Resultados:Como resultado, percebe-se a importância no planejamento integrado das estruturas viárias que dão continuidade no fluxo da Linha Verde, em direção aos municípios metropolitanos, podendo-se inferir haver uma participação tímida dos municípios no processo de implementação, assim como em todas as diretrizes de planejamento assim propostas. Ainda de acordo com os resultados obtidos, em especial com posicionamento da prefeitura do município de Fazenda Rio Grande, fica claro que este eixo metropolitano é de interesse comum regional, porém a sua participação no processo de seu planejamento e implementação é muito pequena. Nota-se a falta de projetos efetivos que façam mudanças promissoras ou interesses em ajustar o trecho que liga diretamente os dois municípios.

Conclusões:Finalizando, a pesquisa demonstrou a deficiência relativa da integração do projeto da Linha Verde em relação aos municípios abrangidos por ela assim como a deficiência de suprir a demanda futura, destaca-se, porém, a compreensão dos atores envolvidos sobre a repercussão deste trecho extremo sul na integração metropolitana.

Palavras-chave:Planejamento urbano. Mobilidade urbana. Estrutura viária. Diretrizes de planejamento. Planejamento urbano e regional.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador