NARRATIVAS SOBRE A ESPIRITUALIDADE JUNTO A PACIENTES EM TRATAMENTO PSIQUIÁTRICO E SEUS FAMILIARES EM GRUPOS COMUNITÁRIOS DE SAÚDE MENTAL

PEIXOTO, Felipe Gabriel1; FERNANDES, Marcio Luiz2;

Resumo

Introdução:O presente estudo Polifonias do Coração tem por objetivo as ressonâncias qualitativas presentes no Grupo Comunitário de Saúde Mental e está integrando um projeto mais abrangente denominado “Recursos (In)visíveis: Avaliação do Coping Religioso/Espiritual e dos Conflitos Espirituais na Saúde”.

Objetivo:A finalidade da pesquisa foi compreender a experiência vivenciada por pacientes em meio a tratamento psiquiátrico em um grupo comunitário de saúde mental e suas principais necessidades espirituais presentes em suas narrativas.

Metodologia:A coleta de dados foi realizada através de observações participantes no Simpósio de Perspectivas Inovadoras no Cuidado de Saúde Mental e no XXI Encontro Anual de Saúde Mental, ambas promovidas pelo grupo comunitário da Universidade de São Paulo no campus de Ribeirão Preto/SP. Também foram realizadas entrevistas no formato semiestruturado, aplicadas em seis usuários do programa. O áudio das entrevistas foi gravado, possuindo 97 minutos de duração total, e transcritas posteriormente. A análise dos dados ocorreu de forma qualitativa por meio da abordagem fenomenológica e com o auxílio do software Atlas.ti para codificação dos relatos, que levaram em consideração o sentido e a ressignificação das experiências, sua apropriação, a ressocialização do doente mental, os recursos espirituais e o sofrimento caracterizado pelo enfrentamento de situações estressoras.

Resultados:Os resultados apontaram para uma grande potência terapêutica ligada à valorização das experiências cotidianas e para a presença de demandas espirituais presentes nas vivências humanas por meio do simbólico, dos sentimentos do encontrar-se com o humano. Também foi observada a importância da ressocialização e do grupo frente ao estigma social relacionado ao doente mental e a força do sentido, que dá significado à vida e ao viver.

Conclusões:O estudo favorece uma perspectiva terapêutica mais humanitária e mais próxima da realidade do paciente, além de possibilitar um olhar direcionado à dimensão espiritual das relações humanas, do estabelecimento de vínculos, do cuidado e sentimentos de amor pela vida e pelo outro.

Palavras-chave: Grupo. Saúde Mental. Fenomenologia. Espiritualidade.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador