NARRATIVAS SOBRE A ESPIRITUALIDADE:O CASO DE COORDENADORES DE GRUPOSCOMUNITÁRIOS DE SAÚDE MENTAL

ORSI, Gylda Sunhog1; FERNANDES, Marcio Luiz2;

Resumo

Introdução:A Reforma Psiquiátrica tem por objetivo a desinstitucionalização do portador de sofrimento mental e a substituição por uma rede integrada de atenção extra-hospitalar. Identificado como uma possibilidade dentro deste cenário, o Grupo Comunitário de Saúde Mental apresenta em sua metodologia aspectos característicos que permitem com que coordenadores e participantes compartilhem e reflitam sobre suas experiências cotidianas. A hipótese levantada é que através destes aspectos característicos, o Grupo seja um instrumento capaz de cuidar da totalidade biopsicossocial e espiritual da pessoa humana.

Objetivo:Buscou-se identificar nas narrativas dos profissionais de saúde participantes do Grupo, as questões relativas aos significados atribuídos as experiências espirituais e religiosas pelos participantes e seus significados para a atuação junto ao Grupo Comunitário.

Metodologia:Os relatos foram coletados através da observação participante durante o simpósio “Perspectivas Inovadoras no Cuidado em Saúde Mental”, o XXI Encontro Comunitário de Saúde Mental e através de entrevistas semiestruturadas realizadas com coordenadores, totalizando 5 narrativas. A análise seguiu a metodologia qualitativa fenomenológica proposta por Giorgio, onde entende-se que os fenômenos analisados surgem através das narrativas e são definidas por ela.

Resultados:Quatro fenômenos puderam ser identificados nas narrativas dos coordenadores do Grupo Comunitário: o Grupo como possibilidade de encontro humano que permite experiências espirituais e religiosas; o Grupo como possibilidade de vivência de experiências espirituais e religiosas através de respostas as perguntas referentes ao significado último da existência; a conduta dos coordenadores em relação ao sentido que estas experiências têm para os participantes; e a horizontalidade como forma de vivências das experiências espirituais e religiosas também dos profissionais de saúde, caracterizando como uma forma de cuidado com o profissional.

Conclusões:O Grupo Comunitário de Saúde Mental se caracteriza como uma nova modalidade de assistência através do cuidado na comunidade. É um instrumento terapêutico eficaz e adequado aos novos paradigmas propostos pelo modelo de atenção psicossocial sendo capaz de promover um cuidado na totalidade biopsicossocial e espiritual da pessoa humana.

Palavras-chave: Saúde Mental. Grupos. Espiritualidade. Fenomenologia.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador