CUIDADO NUTRICIONAL NA ATENÇÃO DE MÉDIA COMPLEXIDADE EM SAÚDE PARA OBESIDADE (PACIENTES PRÉ CIRÚRGICOS)

SILVA, Isadora Sayuri Macedo da1; RIBAS, Maria Teresa Gomes de Oliveira 3; CARVALHO, Ana Paula 3; LEINIG, Cyntia Erthal2;

Resumo

Introdução:O Ministério da Saúde elegeu a obesidade como um dos eixos temáticos de prioridade para a organização do cuidado em saúde, sendo uma doença em que tecido adiposo está acima do considerado ideal para manutenção da saúde. A cirurgia bariátrica pode ser indicada para pacientes com Índice de Massa Corporal (IMC) =40kg/m² ou =35kg/m² associado à comorbidades, considerando-se que houve falha no tratamento clínico. A organização da atenção nutricional na linha de cuidado da obesidade compreende uma ação decisiva para prevenção e tratamento da evolução da enfermidade até estágios mais graves, além dos cuidados no pós-operatório imediato e tardio, quando a cirurgia e o acompanhamento em longo prazo se fazem necessários.

Objetivo:Compreender a identidade das ações da Nutrição na Linha de Cuidado da Obesidade no enfoque da atenção da média complexidade em saúde. Quanto aos objetivos específicos, identificar preditores de encaminhamento para a cirurgia; produzir o perfil nutricional atual e analisar estratégias da área de nutrição para a organização dos processos de trabalho.

Metodologia:De caráter descritivo-analítico, o estudo foi desenvolvido na população adulta obesa e com indicação cirúrgica em fase pré-operatória, em tratamento numa Clínica de Nutrição em Curitiba-Paraná, entre setembro de 2018 a junho de 2019. Para traçar o perfil da população, foram analisados dados antropométricos, ingestão calórica e de nutrientes, além de consumo por frequência alimentar. Também foram avaliadas características gerais e clínicas. Os dados obtidos foram inseridos num banco de dados do Excel 2010 e analisados por estatística descritiva. Para a comparação entre grupos foi utilizado o teste t para amostras relacionadas, sendo considerado o nível de significância quando p<0,05. Utilizou-se o programa SPSS 21.

Resultados:Foram analisados 67 pacientes, sendo 82,09% mulheres e 50,75% entre 20 e 40 anos. Há alta prevalência de morbidades, sendo 44,78% hipertensos e 29,85% diabéticos. Sobre o perfil nutricional atual, peso 115,39±20,929kg; IMC (43,32±6,325 kg/m²) e circunferência abdominal para mulheres (125,41±12,231 cm) e homens (131,03±9,851 cm), respectivamente. Alimentos protetores mais consumidos foram feijão (76,12%), alimentos integrais (60%) e frutas (58,70%). Para alimentos de risco, bebidas açucaradas (98,51%), carne gorda (52%), doces e guloseimas (44,78%). Consumo proteico, de fibras e cálcio mostrou-se abaixo da adequação e o consumo de sódio acima do recomendado. O número de consultas com nutricionista em atendimento ambulatorial variou de 1 a 7, sendo mais frequente 1 a 2. Observou-se diferença nas medidas antropométricas da primeira até a última consulta, sendo peso e IMC (p=0,000), circunferência abdominal (p=0,005) e circunferência da cintura (p=0,009). Observou-se valor médio de 5,18% de perda de peso, mostrando adequação aos protocolos clínicos desenvolvidos. O tempo de espera para a realização da cirurgia é, em média, 6 meses a 1 ano, o que corresponde ao tempo de consulta com profissionais de atuação multidisciplinar.

Conclusões:Observa-se a importância da organização do cuidado nutricional e aplicação de protocolos de atendimento específicos para a população com obesidade, possibilitando atendimento estruturado e adequado às necessidades individuais de cada paciente, mediante um trabalho compartilhado entre os profissionais da atenção primária e especialistas focais.

Palavras-chave: Obesidade. Cirurgia bariátrica. Insegurança Alimentar e Nutricional.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador