RELAÇÃO ENTRE A AVALIAÇÃO CITOLÓGICA E BACTERIANA DO ENDOMÉTRIO DE ÉGUAS NAS TAXAS DE PRENHEZ EM PROGRAMAS DE TRANSFERÊNCIAS DE EMBRIÃO

PAULA, Gustavo Zigovski de1; MACAN, Rodrigo Chaves 3; RIBEIRO, Mariana 3; CAMARGO, Carlos Eduardo2;

Resumo

Introdução:Os equídeos representam um papel fundamental para a economia brasileira movimentando aproximadamente 16 bilhões de reais por ano. Os estudos envolvendo suas funções reprodutivas são de suma importância nesse cenário. Vários são os problemas que afetam a fertilidade de éguas no mundo inteiro, mas o principal deles é a endometrite. Essa inflamação é altamente recorrente e pode ser consequência de diversas situações que geram como produto final a infertilidade da égua. Exames para avaliar a situação do útero de éguas são extremamente importantes para a segurança financeira do proprietário e também para a saúde do animal.

Objetivo:Tendo essa base como premissa, o objetivo desse estudo foi realizar exames de citologia e de cultura bacteriana em 57 éguas para se avaliar a influência na taxa de prenhez de éguas receptoras em um programa comercial de transferência de embriões de equinos.

Metodologia:Foi feita a utilização de swabs para a coleta de material uterino para a cultura bacteriana e foram avaliadas concentrações de células de defesa no exame citológico coletadas com uma escova citológica. Dos 57 animais avaliados, 12 deles deram resultado positivo para o exame de cultura, e 7 deles deram resultado positivo para citologia, a maior parte do rebanho não apresentou qualquer problema no endométrio e obteve êxito em iniciar a gestação.

Resultados:Das éguas que conseguiram emprenhar a maior parte delas (85%) apresentaram resultado negativo para o exame de cultura e somente 15% tinham presença de agentes etiológicos no endométrio. Em relação à citologia, 90% das éguas que emprenharam não apresentavam qualquer aumento de leucócitos enquanto 10% delas alcançaram resultado positivo. Ao final do experimento foi observado que os resultados positivos dos exames de citologia e cultura bacteriana influenciam no sucesso da prenhez, ou seja, a maior taxa de prenhez positiva ocorreu quando a citologia e a cultura foram negativas (p < 0,05).

Conclusões:Com base nos resultados encontrados podemos afirmar que uma alta porcentagem de leucócitos e a presença de bactérias influenciam negativamente as taxas de prenhez em receptoras de embrião, porém vale ressaltar que algumas éguas, mesmo que contaminadas puderam levar uma gestação adiante.

Palavras-chave:Reprodução. Éguas. Endometrite. Citologia uterina. Cultura uterina.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador