AS DOUTRINAS E TEOLOGIAS DA “PALAVRA DE DEUS”, DA “INSPIRAÇÃO” E DA “REVELAÇÃO” NOS DOCUMENTOS DA IGREJA CATÓLICA ROMANA DE 160 A 2010.(2ª PARTE: PRONUNCIAMENTOS E DOCUMENTOS EXPEDIDOS DESDE O SEGUNDO PERÍODO DO PAPA JOÃO PAULO II (1990) ATÉ A PUBLICAÇÃO

DOLNY, Arlete1; DIETRICH, Luiz Jose2;

Resumo

Introdução:O cristianismo entendido como a “única religião verdadeira” e certos usos da Bíblia, muitas vezes imposta como “A Palavra de Deus”, “revelada” e ou “inspirado”, tiveram importante papel importante na colonização e legitimação da “hegemonia política, econômica e cultural europeia e ocidental” sobre o “sul” do mundo. Servem ainda como poderosos instrumentos de destruição de culturas, religiões, tradições, organizações familiares e tribais, práticas sociais e ambientais, implantando modelos homogeneizantes que nos tornam dependentes dos países centrais.

Objetivo:Este projeto quer avançar na pesquisa da relação entre o monoteísmo judaico-cristão, suas doutrinas e teologias, com os imperialismos e colonialismos na história de Israel, no cristianismo primitivo e na história universal e contribuir para a realização de leituras descolonizadas e descolonizadoras da Bíblia, especialmente do conceito de “Palavra de Deus” e das teologias da revelação e da inspiração. Como objetivo específico analisar como os documentos e pronunciamentos da Igreja Católica Romana sobre a Bíblia, tratam destes conceitos e teologias. [Devido ao volume do compêndio o trabalho foi dividido entre dois PIBICs: Uma estudante analisou os documentos publicados entre os anos 160 e 1990 (PIBIC 1ª parte) , outro estudante os documentos publicados de 1990 até 2010 (PIBIC 2ª parte)].

Metodologia:A pesquisa centrou-se no livro “Documentos da Igreja sobre a Bíblia (160 – 2010)”, de Herculano Alves. O método foi a leitura e a análise dos documentos ali compendiados.

Resultados:foram selecionados 625 parágrafos relacionados ao conceito de “Palavra de Deus”, “Revelação” e “Inspiração” e os mais importantes foram apresentados numa tabela.

Conclusões:Os resultados da 1ª e da 2ª parte foram discutidos em conjunto pelos dois estudantes e pelo professor. Por isso as considerações são as mesmas nos dois projetos. Embora o assunto seja tratado desde o Concílio de Florença (04-02-1442) não há conceituações claras. Estes conceitos são mencionados geralmente como dados aceitos e conhecidos, não necessitando de explicações. As citações apoiam-se nas Escrituras para as afirmações e doutrinas da Igreja. Palavra de Deus, inspirada e revelada, coincide com as Sagradas Escrituras. São conceituações auto referenciadas, porque as Sagradas Escrituras revelam a vontade de Deus para o homem, como, por exemplo, 2Tm 3,16-17. Percebe-se nos documentos o embate causado pela tensão entre o avanço da compreensão do caráter humano e histórico dos textos bíblicos e o esforço hierárquico por manter os dogmas e as doutrinas. Embora se afirme o amor, atrela-se a “Palavra de Deus”, a “Revelação” e a “Inspiração” a Jesus Cristo. E talvez aqui esteja um germe de colonialismo e imperialismo. Pois nega a dignidade das experiências religiosas não cristãs (Teologias Exclusivistas). Ou ao menos estabelece uma hierarquia entre as religiões, de acordo com mais ou menos “sementes do evangelho” que possam ser detectadas dentro delas (Teologias Inclusivistas). Conceitos de “Palavra de Deus”, Revelação” e “Inspiração” que reconheçam a igual dignidade de todas as culturas e todas as religiões, como sendo todas produtos da cultura humana, embora já conte com robustas propostas teológicas (Teologias Pluralistas) ainda estão longe de ser alcançados.

Palavras-chave: Documentos da Igreja Católica. Inspiração. revelação. Palavra de Deus e Colonialismo.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador