ANÁLISE DA EXPRESSÃO IMUNOHISTOQUÍMICA DE INTERLEUCINA 6 NO PROCESSO DE REPARO DE LESÃO BUCAL DE RATOS SUBMETIDOS AO TRATAMENTO TÓPICO COM NASTURTIUM OFFICINALE

OLIVEIRA, Suzi Rososki de1; BETTEGA, Patrícia Vida Cassi 3; HARDY, Ana Maria Trindade Gregio 3; NAGASHIMA, Seigo 3; MARTINS, Ana Paula C 3; IGNÁCIO, Sergio Aparecido 3; VAZ, Caroline 3; JOHANN, Aline Cristina Batista Rodrigues 3; MICHELS, Arieli Carini2;

Resumo

Introdução:As úlceras são lesões frequentes na boca, e se caracterizam pela perda do tecido epitelial e exposição de tecido conjuntivo subjacente. A reparação tecidual envolve processos biológicos complexos, sendo dividida em diferentes fases: coagulação, inflamação, fibroplasia, reepitelização, contração e remodelação. O Nasturtium Officinale é um fitofármaco que apresenta características anti-inflamatórias e antioxidantes que podem favorecer o reparo.

Objetivo:O objetivo do presente estudo foi analisar a imunoexpressão de Interleucina-6 no processo de reparo de lesão bucal de ratos submetidos ao tratamento tópico com Nasturtium Officinale. Para tanto, o estudo foi aprovado pelo comitê de ética, parecer: 445/2009.

Metodologia:A amostra foi de 64 ratos, que foram ulcerados com um punch de 0,5 cm, na região central do dorso de língua. Após, dividiu-se os animais em: a) grupo experimental (n=32) com uso tópico de solução de Nasturtium Officinale e b) grupo controle (n=32) com uso tópico de solução salina. Nos dias 2, 7, 14 e 21 os animais (n=8 por grupo) foram eutanasiados. As línguas foram removidas, processadas e submetidas à imuno-histoquímica para Interleucina-6. As lâminas foram digitalizadas no programa ZEN (ZEISS Microscope Software ZEN Lite) e 10 imagens da úlcera (200x) foram capturadas. Houve edição de fotomicrografias que apresentavam tecido epitelial, muscular ou artefato, por meio do Photoshop CC Portable. A análise ocorreu pelo programa Image Proplus™ 4.5 que calculou as áreas, em µm2 de imuno-expressão de Interleucina-6, as estruturas de cor marrom foram consideradas imunopositivas. Foram utilizados os testes Kruskal-Wallis e Comparações Múltiplas não paramétricas de Dunn e o nível de significância adotado foi 5%.

Resultados:Os resultados indicaram diferença estatisticamente significativa entre o grupo experimental e controle aos 7 dias (MED= 47,4868 e 0,3606) e 21 dias (MED= 43,6423 e 4,6909), respectivamente. A superexpressão de IL-6 aos 7 dias pode ter sido um dos fatores que levou a diferenciação de fibroblastos e o aumento do estímulo para a deposição de fibras colágenas, acarretando um maior número de fibroblastos e maior deposição de fibras colágenas observada em estudo prévio. Já aos 21 dias pode ter contribuído para a maior deposição de colágeno tipo I verificado em estudo anterior.

Conclusões:Assim, sugere-se que um dos possíveis mecanismos pelo qual o Nasturtium Officinale, poderia promover o processo de cura e maturação do colágeno, seria pela indução da superexpressão de Interleucina-6, por induzirem a proliferação de fibroblastos e consequente deposição de colágeno.

Palavras-chave:Cicatrização. Nasturtium officinale. Interleucina-6

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador