UTILIZAÇÃO DE DIFERENTES ADJUVANTES NA APLICAÇÃO DE FUNGICIDA NA CULTURA DA SOJA

GALVÃO, Rafael Ferreira1; ECCO, Martios2;

Resumo

Introdução:A soja é um dos cultivos agrícolas mais importantes da economia mundial, o que se molda graças a seus derivados. Um dos problemas enfrentados pelos adeptos dessa cultura é a ocorrência de perdas de produção, esta que muitas vezes se dá devido a ataques de patógenos. O uso de defensivos agrícolas, necessitam ser absorvidos pela planta para surtirem maiores efeitos, e os adjuvantes são substâncias adicionadas na formulação da calda, onde estas aceleram a absorção dependendo do ingrediente ativo, da constituição da epiderme e da área que esse agroquímico irá encontrar a planta.

Objetivo:Portanto, o objetivo deste trabalho foi avaliar os possíveis sintomas de fitotoxidez e a deposição de gotas gerado pelo uso de diferentes adjuvantes em mistura com fungicida e a distribuição das gotas de pulverização, assim como, consequentemente possíveis eficiências de controle de determinado patógeno e por fim, a possível interferência da fitotoxidez causada nos componentes de produção da cultura da soja.

Metodologia:O estudo foi realizado no campo experimental do curso de Agronomia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, campus Toledo – PR localizado entre as coordenadas 24°42°49’’ S e 53°44°35’’ W, com altitude média de 574 metros e, segundo a classificação climática de Köeppen, o clima da região é caracterizado como sendo subtropical úmido mesotérmico, com verões quentes, sem estações secas e com poucas geadas, com classe do solo: Latossolo Vermelho Distroférrico típico, textura argilosa, durante o ano agrícola 2018/2019. O delineamento experimental utilizado é o de blocos ao acaso (DBC), com 7 tratamentos e 5 repetições, totalizando 35 parcelas experimentais. As análises incluem analises de distribuição de gotas, utilização de papéis hidrosensíveis, onde os resultados foram obtidos após análises pelo software gotas, e avaliação de fitotoxidez foi pela escala diagramática de REIS et al (2010), para as análises de altura, número de galhas, número de vagens, peso de mil grãos, grãos por vagem, produtividade, foram analisadas no software SISVAR, e executado pelo método comparativo de médias de Tukey ao nível de 5% de probabilidade.

Resultados:Os resultados obtidos demonstram que não houve diferença significativa entre as amostras para quesitos altura, número de grãos, número de vagens, número de grãos por vagens, já para peso de mil grãos o ácido fúlvico possui soberania sobre o tratamento com o Nimbus, mas o mesmo não se diferencia dos demais tratamentos, que por sua vez não possuem diferença significativa com o Nimbus. Já para produtividade, o óleo de soja juntamente com o Aúreo se sobressaem sobre o tratamento com Nimbus, porém não se diferenciando dos demais tratamentos, os mesmo não apresentando diferença significativa com o Nimbus.

Conclusões:Portanto, a deposição de gotas permitiu demonstrar que no terço inferior da planta, o adjuvante langer se destacou como sendo 20 vezes mais eficiente que a testemunha e, em relação ao terço médio o adjuvante que mostrou melhor resultado foi o áureo. Devido possivelmente a composição do produto ser orgânica, a aplicação do óleo de soja e o adjuvante aúreo como adjuvantes, proporcionaram os maiores acréscimos de produtividade.

Palavras-chave:Glycine max L. fitotoxidez. Produtividade

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador