AVALIAÇÃO DO POLIMORFISMO -627 DO GENE IL10 EM PACIENTES ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO ACADÊMICO DA PUCPR – CAMPUS LONDRINA/PR.

LINHAM, Rebeca Manoela Villela1; VITALI, Aline 3; BELLO, Valéria 3; FREDERICO, Regina Celia Poli2;

Resumo

Introdução:O aumento de citocinas pró-inflamatórias, assim como a redução de citocinas anti-inflamatórias, tem sido associado à fisiopatologia da migrânea, distúrbio neurológico crônico manifestado por múltiplos ataques de cefaleia associados a outros sintomas neurológicos. A interleucina 10 (IL-10) é uma citocina anti-inflamatória liberada principalmente pelos mastócitos, e seu mecanismo de ação limita a resposta Th2, reduzindo a liberação de citocinas que mantem a inflamação. Assim, sugere-se que o aumento da produção de IL-10, cujos níveis são 70% determinados pela genética, seja um fator protetor tanto para a migrânea quanto para outras doenças que apresentem quadro inflamatório em suas patogenias.

Objetivo:Estimar as frequências alélicas e genotípicas do gene IL10 em pacientes atendidos no ambulatório acadêmico da PUCPR- Campus Londrina/PR.

Metodologia:Neste estudo a amostra foi por conveniência composta por 78 participantes, sendo 60 mulheres e 18 homens. Os grupos foram divididos de acordo com o diagnostico com migrânea (GM, n=32) e o grupo controle, sem a doença (GC, n=46) pareados por idade. A genotipagem foi realizada por meio da técnica de PCR-RFLP. Foi utilizado o teste de Qui-quadrado ou exato de Fisher para avaliar a associação entre os genótipos e sexo. O valor de p adotado foi de 5%.

Resultados:A média de idade dos participantes foi de 37±14,32 anos com prevalência do sexo feminino (76,9%). 55,1% apresentaram o genótipo heterozigoto (AG), enquanto 37,2% eram homozigotos para alelo A e apenas 7,7% o alelo G. Os grupos caso (GM) e controle (GC) não apresentaram diferença estatisticamente significante quanto à idade (GM: 35±13,5; GC: 38,9±14,8), sexo (GM: 81%; GC: 79% eram mulheres). Não foi observado diferença estatisticamente significativa entre os grupos segundo os genótipos e o sexo (p>0,05).

Conclusões:Os resultados do presente estudo apontaram que pacientes com migrânea e sem esta doença (grupo controle) apresentaram frequência genotípica similares do polimorfismo -627 do gene IL10, não havendo diferença estatística entre os grupos analisados. Estudos futuros são necessários com maior número amostral para comprovar os achados do presente estudo.

Palavras-chave:Migrânea. Interleucina 10. Polimorfismo genético. Cefaleia. Genética

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador