ALTERAÇÕES COMPORTAMENTAIS SUGESTIVAS DE DISFUNÇÃO COGNITIVA EM CÃES IDOSOS

INÁCIO, Bruna dos Santos1; MOURA, Ana Wagner de 3; JUNIOR, José Ademar Villanova 3; BATTISTI, Michelly Kheidy Borges2;

Resumo

Introdução:A Síndrome da Disfunção Cognitiva Canina (DCC) é uma alteração neurodegenerativa que afeta cães geriátricos. É caracterizada por um declínio progressivo na função cognitiva do animal, que resulta em défices de aprendizagem, memória e de percepção espacial e alterações nos padrões de sono e interação social.

Objetivo:Este estudo teve como objetivo estimar a prevalência de DCC em cães de idade igual ou superior a 7 anos e avaliar: i) a frequência de demonstração de sinais de DCC; ii) a sua relação com a idade, sexo, ingestão de dieta específica para cães geriátricos e a execução de atividades estimulantes; iii) a percepção da DCC pelos donos.

Metodologia:Durante os meses de maio e junho de 2019 foram aplicados 44 questionários (ANEXO 02) preenchidos por proprietários de cães, machos e fêmeas, apresentando idade igual ou superior a sete anos, de qualquer raça ou sem raça definida, que tinham cadastro ou vieram para atendimento na Clínica Veterinária Universitária PUCPR (Clivet) Campus Toledo. Somando à avaliação do questionário, os cães foram submetidos a avalição clínica e neurológica, para coleta destes dados da semiologia neurológica dos pacientes. A realização do questionário foi presencial, sendo de responsabilidade da estudante deste Pibic a aplicação do mesmo, aclarando qualquer dúvida do proprietário. Para isso, a estudante passou por treinamento realizado pela professora orientadora deste projeto. O treinamento gerou capacitação técnica para aplicar os questionários e realizar a avaliação clínica e neurológica dos animais. Durante as consultas, um médico veterinário aprimorando da PUCPR na área de animais de companhia e uma acadêmica de medicina veterinária acompanharam e auxiliaram a execução dos processos. Para convidar os tutores à participação neste projeto, foi confeccionado um flyer digital, dirigido à população acadêmica da PUCPR Campus Toledo, o que auxiliou a chamar a atenção dos tutores para a avaliação neurológica dos seus cães idosos.

Resultados:Foram efetuados 44 inquéritos presenciais a proprietários de cães de idade igual ou superior a 7 anos (n=29 fêmeas, n=15 machos) através da aplicação de um questionário dividido em: Parte I, de identificação do proprietário e do animal. Parte II, recolheu dados acerca dos sinais ou alterações comportamentais. Parte III, constituída por perguntas adicionais que servem como adjuvante à recolha de dados para a história pregressa dos animais em estudo. Parte IV, visa apurar se o animal se encontra submetido a alguma dieta específica para animais geriátricos. Parte V, com a qual se pretende perceber se o dono suspeita ou assume que o seu animal está com algum tipo de demência. Parte VI, inclui um conjunto de perguntas relacionadas com a prática de atividades estimulantes ao longo da vida do animal. Dos cães avaliados (47,73%) apresentaram um ou mais sinais relacionados a DCC.

Conclusões:O comportamento mais relatado pelos tutores foi de ansiedade com (71,42%), seguido de irritabilidade com (47,61%), agressividade (42,85%), latir sem motivo (38,09%), alteração de sono (33,33%), urinar em locais incomuns (33,33%), morder o tutor (28,57%), desorientação (23,81%), dificuldade de realizar novas tarefas (23,81%) e não saber onde fica o alimento (4,76%).

Palavras-chave:DCC. Síndrome de disfunção cognitiva. Idade. Sexo.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador
    3. Colaborador