LEVANTAMENTO SOBRE A PRÁTICA DA AUTOMEDICAÇÃO ENTRE ESTUDANTES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR PRIVADA DO SUL DO BRASIL

SANTOS, JHONATAN BUAVA DOS 1; OLIVEIRA, Gracinda Maria D Almeida e 2;

Resumo

Introdução:A automedicação consiste no uso de medicamentos por conta própria sem a orientação de um profissional habilitado. Normalmente é adotada por problemas relacionados a dor de cabeça, sendo influenciada principalmente por familiares e amigos. Sua prática pode gerar problemas a saúde, como intoxicação, interações medicamentosas, resistência bacteriana, reações adversas etc.

Objetivo:Objetivou-se determinar a prevalência da automedicação entre os acadêmicos do curso de graduação em Engenharia Civil, de uma universidade do sul do Brasil.

Metodologia:Trata-se de um estudo com delineamento quantitativo, transversal e descritivo, realizado com 116 estudantes do curso de Engenharia Civil de uma instituição privada do sul do Brasil, na qual foi aplicado o instrumento de coleta de dados com variáveis sobre sexo, idade, usos medicamentos nos últimos 12 meses; frequência da prática da automedicação nos últimos 12 meses; motivos para a realização da automedicação; influências para a praticada automedicação, entre outras variáveis dados foram analisados no software estatístico IBM SPSS.

Resultados:Foi evidenciado que grande parte dos estudantes havia se automedicado de 3 a 4 vezes nos últimos 12 meses que antecederam a pesquisa, sendo que 63,8% se automedicou por problemas relacionados a dor de cabeça. 86% dos estudantes afirmaram possuir plano de saúde. Os participantes foram influenciados 64,7% por parente ou amigo, além de serem influenciados significativamente por prescrições antigas (34,5%). Constou-se que 56% dos participantes procura informações na bula dos medicamentos, sendo a internet o segundo meio mais citado para a obtenção e informações. Sendo que 39,7% disse compreender frequentemente as informações recebidas, cumprindo com frequência (31,7%). A dor de estômago foi a reação adversa mais citada pelos estudantes que praticaram a automedicação , seguida da sonolência.

Conclusões:A automedicação é uma prática frequente entre os estudantes do curso de Engenharia Civil, sendo a dor de cabeça o problema mais frequente para a realização desta prática. Esta prática deveria se mostrar o contrário visto que a maioria dos participantes do estudo possuem plano de saúde, o que os possibilita ter maior acesso a um sistema privado de saúde, fato que como defendido por autores, deveria diminuir a prática da automedicação.

Palavras-chave:Automedicação. Estudantes de graduação. Engenharia Civil

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador