ANÁLISE DA CATEGORIA “CULTURA” NA OBRA DE MICHEL DE CERTEAU

SOUZA, Breno César Carvalho de1; BOAS, Alex Vicentim Villas2;

Resumo

Introdução:Propor Certeau como base de uma pesquisa, é propor uma nova conceituação em vários aspectos, mas especialmente nas áreas da Cultura, da Mística e da História, com bases antropológicas, que incidem na maneira se der, fazer e assumir a teologia, especialmente a teologia pública, nos últimos tempos.

Objetivo:O objetivo é mapear e analisar a categoria da cultura que neste trabalho visa como ponto central exatamente estabelecer o diálogo da Cultura nas categorias elencadas pelo autor e perceber sua aplicabilidade ou indicação de relação com a pluralidade temática e na reconstrução conceitual.

Metodologia:Como método utilizamos as leituras bibliográficas narrativas, orientações, participação no grupo de estudos Certeauniano, aulas sobre a temática e o autor. Assim, a pesquisa se deu através de três propostas bibliográficas, do repertório certeauniano: Fábula Mística, Cultura no Plural e Invenção do Cotidiano. Na Cultura no Plural, muito mais que uma construção conceitual, ele propõe uma dinâmica metodológica que interpela a discentes uma nova postura aos docentes, reconstruindo uma proposta significativa de apelos culturais e de aberturas à compreensão do que realmente é cultura, naquilo que toca e influencia, tornando-se parte do Cotidiano das pessoas e da educação.

Resultados:Um dos grandes resultados é a visita ao conteúdo da epistemologia negativa como fonte de conhecimento pela via da negação ou mesmo da descida ao não conhecimento ao conhecimento. É uma via alternativa e diferente daquilo que muitos outros autores se conduzem a percorrer. Segundo Certeau, o reconhecimento do limite do saber histórico faz compreender que a experiência vivida como práxis relacional e também o conhecimento científico, são formas de saber, ou seja, a História constitui uma heterologia, sabemos a partir da ótica do diferente.

Conclusões:Para Certeau, a epistemologia se traduz como uma linguagem teológica da kénosis, num rebaixamento ou mesmo de um esvaziamento para o preencher-se absolutamente. Pesquisar Certeau é, propriamente, um desafio. Contudo, um desafio que não pode resumir-se às limitações da difícil compreensão, mas da abertura que se estabelece em vista das novas maneiras de conhecer e, por consequência, viver.

Palavras-chave:Michel de Certeau. Fábula Mística. Invenção do Cotidiano. Cultura no Plural. Epistemologia negativa

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador