A RELAÇÃO DA QUALIFICAÇÃO DE JOVENS APRENDIZES COM A INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO: UM ESTUDO DE CASO NO INSTITUTO GERAR

SANTOS, Bruna Regina dos1; TEIXEIRA, Guilherme Bittencourt2;

Resumo

Introdução:A Lei 10.097/2000, conhecida como Lei da Aprendizagem, tem como objetivo a formação e qualificação profissional de jovens com vista à inserção no mercado de trabalho. Com isso, programas de capacitação por meio de instituições como o Instituto Gerar trabalham para que jovens sejam capacitados e disponibilizados às empresas que necessitam cumprir os requisitos de contratação previstos na legislação, mesmo tendo essas organizações o objetivo de desenvolver jovens no âmbito profissionais e também no lado pessoal.

Objetivo:A pesquisa teve como objetivo identificar a eficiência na inserção profissional do jovem aprendiz no mercado de trabalho, a partir da qualificação profissional oferecida pelo Instituto.

Metodologia:A presente pesquisa caracteriza-se como um estudo de caso realizado junto ao Instituto Gerar, com abordagem qualitativa. A coleta e análise dos dados se deu por meio de análise documental, entrevistas e questionários semiestruturados aplicados à equipe do Instituto Gerar, à dois gestores de Recursos Humanos de duas empresas selecionadas que são parceiras da instituição e os jovens aprendizes ligados à essas duas empresas, os quais passaram pelo programa nos anos de 2017 e 2018.

Resultados:Os resultados demonstram que a maioria dos jovens possuem renda familiar entre três a seis salários mínimos e que buscavam auxiliar no orçamento familiar com o salário recebido na participação do programa. Os jovens destacaram ainda que a capacitação na área administrativa e logística era o mais relevante no processo de aprendizagem e todos, inclusive aqueles que não foram efetivados, destacaram que o programa Aprendiz Legal conduzido pelo Instituto Gerar faz a diferença na capacitação do jovem, recomendando ainda o programa aos demais. Todavia, destaca-se que menos da metade dos jovens foram efetivados, porém, os gestores de Recursos Humanos destacaram que isso deve-se ao fato da falta de vagas nos anos analisados, afirmando que os jovens disponibilizados pelo Instituto eram qualificados e comprometidos com as empresas.

Conclusões:A presente pesquisa permite inferir que não existe relação direta entre a capacitação do Menor Aprendiz e sua inserção no mercado de trabalho, todavia, não pelo fato dos jovens não estarem sendo preparados de forma adequada, uma vez que tanto os gestores das empresas analisadas quanto os próprios jovens demonstram-se satisfeitos com o programa. Percebe-se aqui que apesar da política pública materializada no Programa Jovem Aprendiz ter conseguido inserir muitos jovens no mercado, precisa-se de uma mudança na cultura no que se refere à oportunidades à esses jovens para que de fato esses possam ter a oportunidade de serem efetivados.

Palavras-chave: Lei da Aprendizagem. Menor Aprendiz. Mercado de Trabalho.

Legendas

    1. Estudante
    2. Orientador